Logo Hortas Biológicas

Como cultivar Endro na horta

Anethum graveolens-Como cultivar Endro
O endro pode trazer muitos benefícios para a sua horta. Veja como pode cultivar o endro.
Share on facebook
Share on twitter
Share on pinterest
Share on whatsapp
Share on email

O endro ou aneto (Anethum graveolens) é mais uma das plantas com história. Os antigos Egípcios descreviam o endro como uma planta com propriedades calmantes e os Gregos diziam que curava os soluços. Na idade média usavam-no nas artes mágicas e era mergulhado no vinho para estimular a paixão. Além de tudo isto, também traz vantagens para a horta. Veja como cultivar endro na horta.

Nomes vulgares: Aneto, endrão, funcho-bastardo, falso anis.

É uma planta anual e rustica da família das Apiáceas. Pode atingir os 60 a 90cm, mas em alguns casos pode chegar aos 120cm. As folhas são bastante aromáticas e plumosas de cor azul-esverdeado. As flores são muito pequenas, fortemente aromáticas e amarelas. Desabrocham em meados do Verão. As sementes são aromáticas, achatadas, ovadas com um centro castanho e estriado e asas amarelo-acastanhadas: contêm ácido silícico, cálcio, fósforo e outros sais minerais. O elemento ativo da planta é um óleo essencial, o anetol.

Partes utilizadas

Folhas, flores e sementes

Como cultivar

O endro é fácil de cultivar. Sendo uma planta anual, tem de ser cultivado todos os anos a partir de semente. Prefere locais com boa exposição solar e solo fertilizado, bem drenado e solto. Tolera um pH na faixa de 5,3 a 7,8.

Nos climas temperados como o português, a sementeira deve realizar-se no princípio da Primavera para fugir aos frios do inverno e aproveitar a água das chuvas, sobretudo durante a fase de maior crescimento. Como não suporta bem os transplantes, a sementeira deve ser feita em local definitivo e a pouca profundidade (1cm).

Na fase de crescimento, desbaste os rebentos deixando 20cm entre eles. Durante toda a vida da planta, mantenha sempre o solo húmido sem encharcar.

Se desejar usar as folhas, pode começar a colher quando as plantas atingirem os 10 cm de altura, e continue a colher até aparecerem as flores. A época de floração ocorre entre maio e agosto. Se o clima da sua região for quente e o solo seco, a floração pode ocorrer precocemente.

As sementes podem ser colhidas cerca de 90 dias após a sementeira. Colha as sementes quando amadurecerem, isto e, quando ficarem castanhas. As sementes podem ser secas e guardadas. O poder germinativo das sementes mantem-se durante 3 a 10 anos.

Anethum-graveolens-sementes
Sementes prontas a colher

Consociação:
Favorável:  milho, couve-flor, couve, repolho, alface, tomate, cebola e coentros. O coentro e o endro quando plantados juntos tem benefícios notáveis no controle de pragas.
Desfavorável: salsa, cenoura (inibe o crescimento de cenouras se for cultivada até a maturidade perto delas. No entanto, a planta jovem ajudará a impedir a mosca da raiz da cenoura).
É aconselhável evitar plantar o endro próximo do funcho, caso pretenda usar sementes de ambas, quer para cozinhar quer para propagação, porque as duas ervas podem facilmente fazer polinização cruzada.

Pragas e doenças:
A planta é muito rustica e em Portugal não se tem verificado ataques de doenças ou pragas de forma significativa, especialmente quando a planta já está bem estabelecida. Isso não quer dizer que esteja imune a esses ataques. A rotações de culturas pode prevenir muitas doenças no endro. Só deve ser cultivado no mesmo terreno de 4 em 4 anos.
A principal praga que pode atacar o endro são os afídeos. Mantenha a praga sobre controle.

Quanto às doenças, o endro pode ser atacado por vírus transmitidos por insetos como os afídeos, pelo míldio, oídio e por fungos do género Fusarium.

Benefícios na horta

O endro atrai abelhas e vários polinizadores bem como insetos benéficos para a horta. É o caso das joaninhas e de insetos parasitoides como o Edovum puttleri (parasitoide dos ovos do escaravelho da batata), a Cotesia glomerata (vespa parasitoide das larvas da lagarta-do-repolho) e a Pediobius foveolatus (vespa parasitoide das larvas do escaravelho-do-feijão).

Usos culinários

Os usos culinários do endro são vastos e podem depender de país para país.
As sementes são usadas inteiras ou moídas em sopas, pratos de peixe, conservas de legumes, tortas de maçã, aromatizar manteigas, pães e bolos.
As folhas sabem melhor frescas, mas também podem ser secas. São usadas em sopas, saladas de batata, queijo-creme, ovos, salmão e carne grelhada. Nos Açores, as folhas frescas são um condimento indispensável na chamada sopa-do-espirito-santo. Em alguns países, são usadas para acompanhar e ornamentar pratos de carne ou peixe frito.
Muitos licores de ervas incluem o endro.

Uso terapêutico

Tem sido reconhecido que o endro, ou alguns dos seus órgãos, tem propriedades medicinais. Por isso, em alguns países é usado na medicina caseira.

A infusão das sementes é recomendada nas perturbações digestivas. As sementes e a toda a planta são também usadas no tratamento das cólicas espasmódicas dolorosas, usadas como diurético e colerético (que que estimula a secreção da bílis). No Brasil, onde a planta e muito cultivada principalmente nas regiões de clima mais fresco, usam a infusão das sementes para aliviar as cólicas intestinais infantis, contra os soluços, para combater a flatulência e estimular a digestão. Mastigar as sementes melhora o mau hálito.

Cuidados

Antes de usar a infusão de endro em crianças ou se estiver a amamentar, consulte o seu médico.
A infusão das sementes pode causar um acréscimo ligeiro da transpiração corporal.

Partilhe este artigo

Share on facebook
Share on twitter
Share on pinterest
Share on whatsapp
Share on email
Newsletter
Mais Recentes
Categorias

Ervas Aromáticas

LER