Como cultivar alho na horta de modo biológico

Plantar alho

O alho (Allium sativum) é mais uma das culturas com uma história milenar. Há mais de 3.500 anos atrás, durante o êxodo dos israelitas do Egito, a Bíblia menciona que eles tinham saudades do alho que comiam no Egito. O historiador grego Heródoto relata que autoridades egípcias compravam grande quantidade de cebola, rabanete e alho para alimentar os escravos que construíam as pirâmides. Essa dieta carregada de alho parecia aumentar a força e o vigor dos trabalhadores. Esse gosto pelo alho continuou. Na “Míxena”, os judeus chamavam a si mesmos de ‘comedores de alho’.

Também os romanos usavam muito o alho na sua alimentação; esmagado com coentros e misturado com vinho branco era bebido como afrodisíaco. O alho ainda é usado amplamente na alimentação nas regiões mediterrâneas embora esteja disseminado por todo o mundo e seja também usado medicinalmente.

É uma planta perene que consiste num bolbo constituído por vários dentes individuais. Há várias espécies de alho em todo o mundo, mas são todas semelhantes. As principais diferenças residem na cor, no sabor e na acidez. As restantes diferenças verificam-se no tamanho, número de dentes, firmeza e capacidades de armazenagem.

A variedade branca é a mais comum. É bastante rustica, hiberna bem no terreno e conserva-se mais tempo. A variedade rósea é mais precoce e delicada, deve consumir-se fresca. É mais cultivada em climas temperados pois requer solos com muito pouca humidade.

Onde cultivar

Solos leves e bem drenados são os mais adequados para o cultivo. Se o solo da sua horta não tiver estas características, pode adicionar alguma areia ou cultivar em canteiro elevados rodeados por valas de escoamento, ou em linhas também com valas entre cada linha. Se a sua região é muito chuvosa, deve sempre cultivar desta forma.

Nunca aplique estrume fresco antes da plantação. Pode usar a fertilização da cultura anterior ou, no caso de ter de aplicar composto, deve adicionar 2 a 3 semanas antes e tem de estar muito bem curtido, sem humidade (o excesso de humidade e o composto pouco curtido favorecem a ocorrência de podridões).

Variedades de alho
Branco: variedade Thermidrome; Rosa: variedade Rose de Lautrec; Roxo: Variedade Germidour.

Escolha um local exposto e soalheiro. Mude de parcela de terreno todos os anos e não cultive alhos onde antes esteve a cultivar variedades da mesma família (cebola, alho-francês ou chalota). Além disso, os alhos não gostam de excesso de nitrogénio. Por isso, não deve cultivar no mesmo sítio onde antes cultivou leguminosas.

Como plantar

A plantação pode fazer-se a partir de outubro até janeiro, mas o mais usual é planta-los em novembro embora a data certa para cada região, vai depender das condições locais de temperatura, humidade e luz solar. Precisa de um algum frio no início do período de crescimento, e de algum tempo húmido quando começa a criar as folhas. Se mora numa região muito fria ou habitualmente muito húmida, é preferível esperar pela Primavera e planta-los na última quinzena de março.

Existem diferentes variedades para plantar no outono e inverno ou na primavera. As variedades que aguentam o inverno tendem a ter uma “dormência curta”- aguentam apenas uns quatro meses depois da colheita. O alho plantado na primavera pode ser armazenado até dez meses, mas em geral é mais pequeno.

Os processos de plantação mais comuns no nosso pais são em bordadura ou em canteiro. Nas duas situações, o processo é o mesmo. Desmanche a cabeça e escolha os dentes maiores que se encontram na parte exterior da «cabeça», ou seja, evite usar os do interior. Não plante dentes que tenham manchas castanhas ou algum sinal de doença. Embora possa usar os que se compram nos supermercados, é recomendável que compre as cabeças em lojas especializadas em sementes. Em geral, são mais produtivos.

Os dentes devem ficar colocados de forma a que o bico fique virado para cima, em intervalos de 10-15 cm e cobertos com uma camada de terra de 1 a 2 centímetros de espessura, no máximo. Em canteiro, as linhas devem ter 20-30 cm entre si. Não necessita regar de imediato. A emergência ocorre aproximadamente ao fim de 3 semanas após a plantação.

Plantas companheiras: Aipo, Alface, Batata, Beterraba, Cenoura, Couve, Morango, Pepino, Tomate, Roseiras, Framboesa.
Ao pé das roseiras ajuda a reforçar o perfume das rosas. Melhora o gosto das framboesas.

Plantas antagónicas: Cebola, Ervilha, Espargo, Feijão, Repolho, Sálvia.
Ao pé das ervilhas e feijão inibe o crescimento destas culturas.

Plantar alho

Cuidados culturais

Depois de plantados os alhos, os cuidados que necessitam durante os 7 a 8 meses que requerem para o seu completo desenvolvimento, são mondas, 2 a 3 sachas, e regas quando a o tempo estiver muito seco; mesmo nestas condições, as regas devem ser feitas com cuidado para que o terreno não fique demasiado encharcado.

A primeira sacha deve ser feita dois meses depois da plantação. Retire as ervas, mas evite danificar os bolbos com a enxada. O empalhamento pode ser uma opção para impedir as invasões de ervas espontâneas.

Se a folhagem tardar a amarelecer na época da colheita, é comum dar um nó na folhagem. Esta prática, pode facilitar o engrossamento dos bolbos, principalmente se o caule junto do colo da planta for muito grosso. Se as plantas tiverem um desenvolvimento normal e o colo da planta se mantiver delgado, esta prática é inútil. Não traz benefícios para os bolbos. Apenas vai provocar a paragem da atividade vegetativa da parte aérea da planta.

Colheita e conservação

Quando os alhos começarem a ter os caules amarelos e a murcharem é a altura de os apanhar. Isso acontece cerca de 6 a 8 meses depois da plantação. Varia consoante as regiões e as condições climatéricas. Faça a colheita em alturas de tempo seco. É possível a colheita mais cedo se os bolbos se destinam a consumo direto. Têm um sabor ligeiramente mais suave, mas tem de ser usados rapidamente. Uma vez que não foram secos, não duram muito tempo.

As cabeças são arrancadas à mão, com cuidado, sacudindo-se-lhes a terra que tenham agarrada e deixam-se no terreno ao sol durante 2 a 3 dias, protegido pelas folhas, para secar. Depois de secos fazem-se pequenos molhos ou tranças que se guardam, de preferência, pendurados em locais cobertos, secos e arejados. Pode usar as próprias folhas da planta para entrançar. Em alternativa, coloque o alho em tabuleiros e mantenha-os também num local fresco e seco.

Alho seco

Usos Medicinais

Desde a antiguidade, o alho é considerado como um remédio poderoso e usado em muitos tratamentos. Na Grécia antiga, Hipócrates e Dioscórides recomendavam-no para problemas digestivos, cardíacos, lepra, cancro, ferimentos e infeções. Os atletas olímpicos da Grécia antiga ingeriam o alimento para se fortalecerem.

No século 19, Louis Pasteur estudou o alho e descobriu suas propriedades antissépticas. Na África, durante o século 20, o famoso médico missionário Albert Schweitzer usou alho para tratar disenteria amebiana e outras doenças. Quando médicos militares russos ficaram sem remédios durante a Segunda Guerra Mundial, usaram alho para tratar os soldados feridos. Assim, ele ficou conhecido como a penicilina russa.

Atualmente, o alho é considerado como sendo capaz de reduzir o colesterol LDL e aumentar o HDL, estimular o funcionamento do fígado e rins, combater o ácido úrico, reforçar o sistema imunitário e melhorar a visão, dores de cabeça e insónias.

Há outras propriedades atribuídas ao alho como: atuar na prevenção dos riscos de enfarte, hipertensão, e impedir o desenvolvimento de células cancerígenas. No entanto, os estudos científicos realizados até agora não permitem estabelecer uma relação direta entre os benefícios do consumo de alho e a sua eficácia contra as doenças cardiovasculares ou na prevenção contra o cancro.

Curiosidades

Quando comemos uma refeição que leva alho, o nosso nariz percebe logo a sua presença.

Mas, porque é que não nos cheira quando ele está intacto no bolbo? A resposta é interessante. O alho contém substâncias químicas poderosas que ficam isoladas umas das outras enquanto não é picado, cortado ou esmagado. Ao picar um dente de alho, uma enzima chamada alinase entra em contato com uma substância chamada aliina, desencadeando uma reação que produz alicina, responsável pelo cheiro e sabor característicos do alho.

A absorção pela nossa pele ocorre de modo muito rápido, pois a estrutura química da alicina favorece essa absorção. Os compostos químicos do alho podem ser encontrados na urina mesmo alguns dias depois de serem ingeridos.

O que fazer para diminuir o hálito de alho?

Pode-se tentar mastigar folhas de salsa fresca ou alguns cravos-da-índia. No entanto, dificilmente vai desaparecer por completo. O hálito com cheiro de alho vem principalmente dos pulmões. Ao comer alho, o sistema digestivo o transfere para a corrente sanguínea, que o leva aos pulmões. À medida que respira, o seu hálito terá um forte cheiro de alho que não sai mesmo que lave os dentes.

Partilhe este artigo

Quiz Hortas Biológicas

20 perguntas para avaliar os seus conhecimentos sobre horticultura biológica