Logo-HB-Header2024

Soluções naturais para as doenças fúngicas na horta

Doenças fúngicas na horta

Cuidar de uma horta caseira pode ser uma atividade compensadora pois proporciona o acesso a alimentos frescos e saudáveis, além de ser uma excelente forma de relaxamento e conexão com a natureza. No entanto, apesar de todos os nossos esforços para prevenir, podemos ter de lidar com o desafio das doenças fúngicas na horta que comprometem a saúde das plantas e a qualidade das colheitas.

Estas doenças, causadas por diferentes tipos de fungos, manifestam-se de várias maneiras, desde manchas nas folhas até a podridão dos frutos, afetando diretamente a produtividade e a vitalidade das plantas. Para saber como identificar as doenças fungicas na horta, sugerimos a leitura deste artigo.

Para ajudar os hortelãos a combater as doenças fúngicas na horta de forma eficaz e sustentável, este artigo aborda soluções caseiras e biológicas que podem ser facilmente implementadas. Além de serem acessíveis e ecológicas, estas soluções utilizam ingredientes naturais que são seguros tanto para as plantas quanto para o meio ambiente.

Abordaremos a prevenção e tratamento de diversas doenças fúngicas, incluindo míldio, oídio, Podridão cinzenta (Botrytis), Ferrugem, Mancha de Alternaria, Mofo-branco (Podridão de Sclerotinia), Septoriose e Antracnose, com uma abordagem focada nas particularidades climáticas das diferentes regiões de Portugal.

Prevenção das doenças fúngicas na horta

A luta contra as doenças fúngicas na horta começa nas práticas culturais preventivas. Deixamos aqui algumas práticas culturais que ajudam a reduzir o risco de infeção e promovem um ambiente saudável para o crescimento das plantas.

Doenças Fúngicas na Horta - Oídio
Sinais visíveis de oídio

Oídio:

  • Garanta uma boa circulação de ar entre as plantas, evitando o plantio muito denso.
  • Remova as partes da planta infetadas para prevenir a disseminação do fungo.
  • Evite o excesso de fertilizantes ricos em azoto, que favorecem o crescimento de fungos.
  • Regue as plantas pela base para evitar que as folhas fiquem molhadas por períodos prolongados. Mantenha o pH do solo equilibrado fazendo correções conforme necessário.

Míldio:

  • Evite plantar espécies suscetíveis à doença no mesmo local todos os anos.
  • Mantenha as plantas bem espaçadas para promover uma boa circulação de ar.
  • Evite molhar as folhas, optando por sistemas de rega que irriguem diretamente a base das plantas.
  • Retire imediatamente as plantas afetadas para evitar a propagação do fungo.
  • Mantenha horta livre de ervas daninhas, que podem servir como hospedeiras para o fungo.

Podridão Cinzenta (Botrytis):

  • Certifique-se de que o solo possui uma boa drenagem para evitar o acúmulo de humidade.
  • Elimine prontamente qualquer material vegetal morto ou em decomposição para evitar que se torne um foco de infeção.
  • Mantenha as plantas bem espaçadas para permitir uma boa circulação de ar ao redor delas.
  • Regue as plantas na base para evitar a humidade excessiva nas folhas.
  • Não plante culturas suscetíveis à doença no mesmo local por várias estações consecutivas.

Ferrugem:

  • Remova as folhas infetadas assim que forem identificadas para evitar a disseminação do fungo.
  • Regue as plantas na base para evitar a humidade nas folhas, que favorece o desenvolvimento da ferrugem.
  • Evite plantar culturas hospedeiras da ferrugem no mesmo local todos os anos.
  • Mantenha um equilíbrio adequado de nutrientes para promover a saúde das plantas e torná-las menos suscetíveis à doença.
  • Faça inspeções regulares das plantas para identificar sinais de infeção e trate-as prontamente.

Mancha de Alternaria:

  • Mantenha as plantas bem espaçadas para permitir uma boa circulação de ar ao redor delas.
  • Remova as folhas afetadas assim que forem identificadas para evitar que a doença se espalhe.
  • Evite molhar as folhas durante a rega, optando por sistemas que irriguem diretamente o solo.
  • Evite o excesso de azoto na fertilização, pois pode favorecer o desenvolvimento da doença.
  • Mantenha a horta livre de ervas daninhas, que podem abrigar esporos do fungo.

Mofo-Branco (Podridão de Sclerotinia):

  • Evite plantar culturas suscetíveis à doença no mesmo local por várias estações consecutivas.
  • Certifique-se de que o solo possui uma boa drenagem para evitar o acúmulo de humidade, que favorece o desenvolvimento do fungo.
  • Mantenha as plantas bem espaçadas para permitir uma boa circulação de ar ao redor delas, reduzindo a humidade.
  • Elimine imediatamente qualquer material vegetal morto ou em decomposição para evitar que se torne um foco de infeção.
  • Mantenha a horta livre de ervas daninhas, que podem servir como hospedeiras para o fungo.

Septoriose:

  • Remova todas as folhas e detritos do solo no final da temporada para reduzir a quantidade de esporos que podem sobreviver até a próxima estação de crescimento.
  • Alterne as culturas plantadas na horta para evitar a acumulação de esporos no solo.
  • Evite molhar as folhas durante a rega, pois a humidade nas folhas favorece o desenvolvimento da doença.
  • Mantenha as plantas bem espaçadas para permitir uma boa circulação de ar ao redor delas, o que pode ajudar a reduzir a incidência de infeções por Septoriose.
  • Faça inspeções frequentes das plantas para identificar sinais precoces de infeção e trate-as prontamente para evitar a disseminação da doença.

Antracnose:

  • Mantenha as plantas bem espaçadas para promover uma boa circulação de ar entre elas, o que pode ajudar a reduzir a humidade e a incidência de Antracnose.
  • Regue as plantas na base para evitar a humidade nas folhas, que favorece o desenvolvimento da doença.
  • Remova as folhas afetadas assim que forem identificadas para evitar que a doença se espalhe para o restante da planta.
  • Mantenha um equilíbrio adequado de nutrientes para promover a saúde das plantas e torná-las menos suscetíveis à Antracnose.
  • Desinfete regularmente as ferramentas de jardinagem para evitar a disseminação de esporos de fungos de uma planta infetada para outra.

Controle e tratamento das doenças fúngicas na horta

Tratamentos para as doencas fingicas na horta

Exploramos neste tópico o potencial das plantas medicinais, ervas aromáticas e outros produtos caseiros no controle das principais doenças fúngicas na horta. Ao aproveitar o poder das plantas e ingredientes domésticos, temos a oportunidade não apenas de proteger as nossas culturas de forma eficaz, mas também de promover a sustentabilidade e a saúde do ecossistema da horta.

Fornecemos uma lista de 20 soluções com recurso a plantas e ingredientes que podem ser utilizados para combater as doenças fúngicas nas plantas da horta, com detalhes relevantes para cada um.

Estes ingredientes e plantas são recursos valiosos para o combate às doenças fúngicas na horta caseira. É importante utilizar cada um de forma adequada para maximizar a eficácia e minimizar quaisquer efeitos negativos. Teste sempre numa pequena área antes de aplicar em toda a planta e siga as recomendações de preparação e aplicação cuidadosamente.

1. Bicarbonato de sódio

  • Doenças abrangidas: Oídio, Míldio
  • Características: O bicarbonato de sódio altera o pH da superfície das folhas, criando um ambiente inóspito para os fungos.
  • Preparação: Dissolva 1 colher de chá de bicarbonato de sódio em 1 litro de água. Adicione algumas gotas de detergente neutro para ajudar na adesão às folhas.
  • Aplicação: Pulverize a solução nas folhas das plantas afetadas, repetindo a cada 5-7 dias até que a doença esteja controlada.
  • Cuidados: Evite aplicar em dias de sol intenso para prevenir queimaduras nas folhas.
  • Possíveis efeitos negativos: Pode causar queimaduras nas folhas se aplicado em concentrações muito altas ou em dias muito quentes.

2. Vinagre de maçã

  • Doenças abrangidas: Oídio, Míldio
  • Características: O vinagre de maçã é ácido e pode ajudar a impedir o crescimento de fungos ao alterar o pH das folhas.
  • Preparação: Misture 3 colheres de sopa de vinagre de maçã em 1 litro de água.
  • Aplicação: Pulverize a solução sobre as plantas afetadas a cada 7-10 dias.
  • Cuidados: Teste em uma pequena área antes de aplicar em toda a planta para garantir que não cause danos.
  • Possíveis efeitos negativos: Pode ser fitotóxico em altas concentrações.

3. Calda bordalesa

  • Doenças abrangidas: Míldio, Ferrugem, Podridão-negra
  • Características: A calda bordalesa é uma mistura de sulfato de cobre e cal, eficaz no controle de várias doenças fúngicas.
  • Modo de preparação: Veja aqui como preparar.
  • Aplicação: Pulverize nas plantas afetadas, especialmente após chuvas intensas.
  • Cuidados: Use luvas e proteção ocular durante a preparação e aplicação.
  • Possíveis efeitos negativos: O uso excessivo pode causar acumulação de cobre no solo, prejudicando a microbiota e a fertilidade do solo.

4. Cavalinha

  • Doenças abrangidas: Oídio, Míldio, Ferrugem
  • Características: A cavalinha é rica em sílica, que fortalece as paredes celulares das plantas, dificultando a penetração de fungos.
  • Preparação: Faça um chá fervendo 100g de cavalinha fresca (ou 10g de cavalinha seca) em 1 litro de água durante 20 minutos. Deixe arrefecer e coe.
  • Aplicação: Pulverize nas plantas a cada 10-14 dias.
  • Cuidados: Use em dias nublados ou ao fim da tarde para evitar queimaduras solares.
  • Possíveis efeitos negativos: Nenhum significativo quando usada corretamente.
Doenças fúngicas na horta -tratamento tomates

5. Leite

  • Doenças abrangidas: Oídio
  • Características: As proteínas do leite podem atuar como fungicidas naturais, interrompendo o ciclo de vida do oídio.
  • Preparação: Dilua o leite (de vaca ou de cabra) na proporção de 1 parte de leite para 10 de água.
  • Aplicação: Pulverize nas folhas das plantas uma vez por semana.
  • Cuidados: Evite usar leite integral, pois pode atrair insetos.
  • Possíveis efeitos negativos: Nenhum significativo quando usado corretamente.

6. Alho

  • Doenças abrangidas: Oídio, Míldio
  • Características: O alho contém compostos de enxofre que têm propriedades antifúngicas naturais.
  • Preparação: Triture 4-5 dentes de alho e misture com 1 litro de água. Deixe descansar por 24 horas, depois coe.
  • Aplicação: Pulverize nas plantas afetadas a cada 7-10 dias.
  • Cuidados: Evite aplicar em dias muito quentes para prevenir queimaduras nas folhas.
  • Possíveis efeitos negativos: Pode ser fitotóxico em altas concentrações.

7. Óleo de Neem

  • Doenças abrangidas: Oídio, Míldio, Ferrugem
  • Características: O óleo de neem tem propriedades antifúngicas e inseticidas.
  • Preparação: Veja aqui como preparar.
  • Aplicação: Pulverize nas plantas afetadas a cada 7-10 dias.
  • Cuidados: Evite aplicação em dias de sol intenso.
  • Possíveis efeitos negativos: Embora raro, o óleo de neem pode causar fitotoxicidade, especialmente se for usado em concentrações muito altas ou aplicado em condições de forte luz solar.

8. Vinagre

  • Doenças abrangidas: Oídio, Míldio
  • Características: Semelhante ao vinagre de maçã, o vinagre branco pode ajudar a combater fungos ao alterar o pH das folhas.
  • Preparação: Misture 2-3 colheres de sopa de vinagre branco em 1 litro de água.
  • Aplicação: Pulverize nas plantas afetadas a cada 7-10 dias.
  • Cuidados: Teste numa pequena área antes de aplicar em toda a planta para garantir que não cause danos.
  • Possíveis efeitos negativos: Pode ser fitotóxico em altas concentrações.

9. Canela

  • Doenças abrangidas: Fungos do solo, como o Rhizoctonia solani que causa a podridão-radicular
  • Características: A canela tem propriedades antifúngicas que podem ajudar a prevenir a propagação de fungos no solo.
  • Preparação: Polvilhe canela em pó sobre a área afetada do solo.
  • Aplicação: Aplique diretamente no solo ao redor das plantas.
  • Cuidados: Use com moderação para evitar acumulação excessiva no solo.
  • Possíveis efeitos negativos: Nenhum significativo quando usada corretamente.

10. Camomila

  • Doenças abrangidas: Fungos do solo, como Pythium que causa a podridão de raiz.  
  • Características: A camomila tem propriedades antifúngicas naturais.
  • Preparação: Faça um chá usando 2 colheres de sopa de flores de camomila secas em 1 litro de água quente. Deixe esfriar e coe.
  • Aplicação: Pulverize no solo ao redor das plantas ou diretamente sobre as plantas.
  • Cuidados: Use em dias nublados ou ao fim da tarde para evitar queimaduras solares.
  • Possíveis efeitos negativos: Nenhum significativo quando usada corretamente.
Doenças fúngicas na horta - tratamento pepinos

11. Absinto

  • Doenças abrangidas: Oídio
  • Características: O absinto possui compostos amargos e óleos essenciais que têm propriedades antifúngicas.
  • Preparação: Faça um chá fervendo 100g de folhas frescas (ou 10g de folhas secas) de absinto em 1 litro de água. Deixe esfriar e coe.
  • Aplicação: Pulverize nas plantas afetadas a cada 7-10 dias.
  • Cuidados: Use em dias nublados ou ao fim da tarde para evitar queimaduras solares.
  • Possíveis efeitos negativos: Pode ser tóxico se usado em grandes quantidades.

12. Chagas

  • Doenças abrangidas: Míldio, Oídio
  • Características: As folhas de chagas têm propriedades antifúngicas que podem ajudar a proteger outras plantas.
  • Preparação: Faça um chá usando 100g de folhas frescas em 1 litro de água. Deixe esfriar e coe.
  • Aplicação: Pulverize nas plantas a cada 7-10 dias.
  • Cuidados: Use em dias nublados ou ao fim da tarde para evitar queimaduras solares.
  • Possíveis efeitos negativos: Nenhum significativo quando usada corretamente.

13. Sálvia

  • Doenças abrangidas: Oídio, Míldio
  • Características: A sálvia contém óleos essenciais com propriedades antifúngicas.
  • Preparação: Faça um chá usando 100g de folhas frescas (ou 10g de folhas secas) em 1 litro de água. Deixe esfriar e coe.
  • Aplicação: Pulverize nas plantas a cada 7-10 dias.
  • Cuidados: Use em dias nublados ou ao fim da tarde para evitar queimaduras solares.
  • Possíveis efeitos negativos: Nenhum significativo quando usada corretamente.

14. Tomilho selvagem

  • Doenças abrangidas: Oídio, Míldio
  • Características: O tomilho selvagem contém timol e carvacrol, compostos com propriedades antifúngicas.
  • Preparação: Faça um chá usando 100g de folhas frescas (ou 10g de folhas secas) em 1 litro de água. Deixe esfriar e coe.
  • Aplicação: Pulverize nas plantas a cada 7-10 dias.
  • Cuidados: Use em dias nublados ou ao fim da tarde para evitar queimaduras solares.
  • Possíveis efeitos negativos: Nenhum significativo quando usada corretamente.

15. Tanaceto

  • Doenças abrangidas: Oídio, Míldio
  • Características: O tanaceto contém compostos como a tujona, que possuem propriedades antifúngicas e repelentes de insetos. Esses compostos ajudam a inibir o crescimento de fungos e a prevenir infestações de pragas.
  • Preparação: Colha cerca de 200g de folhas e flores frescas de tanaceto ou 20g de folhas secas. Ferva 1 litro de água e despeje sobre o tanaceto. Deixe a infusão descansar por 24 horas. Coe a mistura e dilua em 5 litros de água antes de usar.
  • Aplicação: Pulverize a solução sobre as plantas afetadas, focando nas áreas onde os sinais de doenças fúngicas são visíveis. Repita a aplicação a cada 7-10 dias ou após chuvas intensas.
  • Cuidados: Aplique em dias nublados ou no final da tarde para evitar queimaduras nas folhas. Teste a solução em uma pequena área da planta antes de aplicar em toda a planta para garantir que não haja reações adversas. Manuseie com cuidado, pois a tujona é tóxica em grandes quantidades.
  • Possíveis efeitos negativos: Pode causar danos às plantas se usado em concentrações muito altas. Sempre dilua adequadamente a infusão. A tujona é um composto tóxico e deve ser manuseado com cuidado. Evite o contato com a pele e os olhos, e mantenha fora do alcance de crianças e animais de estimação.
Doenças fúngicas na horta - tratamento curgetes

16. Manjericão

  • Doenças abrangidas: Oídio, Míldio
  • Características: O manjericão contém óleos essenciais com propriedades antifúngicas, que ajudam a prevenir e controlar infeções fúngicas.
  • Preparação: Faça uma infusão usando 100g de folhas frescas de manjericão em 1 litro de água a ferver. Deixe esfriar e coe.
  • Aplicação: Pulverize nas plantas a cada 7-10 dias.
  • Cuidados: Use em dias nublados ou ao fim da tarde para evitar queimaduras solares.
  • Possíveis efeitos negativos: Nenhum significativo quando usado corretamente.

17. Calêndula

  • Doenças abrangidas: Oídio, Míldio
  • Características: A calêndula possui propriedades antifúngicas e antimicrobianas que ajudam a proteger as plantas de doenças.
  • Preparação: Faça um chá usando 100g de flores frescas (ou 10g de flores secas) em 1 litro de água. Deixe esfriar e coe.
  • Aplicação: Pulverize nas plantas a cada 7-10 dias.
  • Cuidados: Use em dias nublados ou ao fim da tarde para evitar queimaduras solares.
  • Possíveis efeitos negativos: Nenhum significativo quando usada corretamente.

18. Hortelã

  • Doenças abrangidas: Oídio, Míldio
  • Características: A hortelã contém compostos fenólicos e terpenoides no seu óleo essencial, como o mentol, a Carvona e a Pulegona que têm propriedades antifúngicas.
  • Preparação: Faça uma infusão com 100g de folhas frescas de hortelã em 1 litro de água fervente. Deixe esfriar e coe.
  • Aplicação: Pulverize nas plantas a cada 7-10 dias.
  • Cuidados: Use em dias nublados ou ao fim da tarde para evitar queimaduras solares.
  • Possíveis efeitos negativos: Nenhum significativo quando usada corretamente.

19. Alcachofra

  • Doenças abrangidas: Oídio, podridão cinzenta, ferrugem e antracnose.
  • Características: As folhas de alcachofra contêm compostos com propriedades antifúngicas que podem ajudar a controlar diversas doenças fúngicas.
  • Preparação: Faça uma infusão usando 100g de folhas frescas de alcachofra em 1 litro de água fervente. Deixe esfriar e coe.
  • Aplicação: Pulverize nas plantas a cada 7-10 dias.
  • Cuidados: Use em dias nublados ou ao fim da tarde para evitar queimaduras solares.
  • Possíveis efeitos negativos: Nenhum significativo quando usada corretamente.

20. Cebola

  • Doenças abrangidas: Oídio, Míldio e Podridão cinzenta.
  • Características: A cebola contém compostos sulfurados com propriedades antifúngicas.
  • Preparação: Triture uma cebola grande e misture com 1 litro de água. Deixe descansar por algumas horas e coe.
  • Aplicação: Pulverize nas plantas afetadas a cada 7-10 dias.
  • Cuidados: Use em dias nublados ou ao fim da tarde para evitar queimaduras solares.
  • Possíveis efeitos negativos: Pode ser fitotóxico em altas concentrações.

Nota:
Pode precisar de algumas tentativas e erros para desenvolver o melhor fungicida natural para prevenir ou controlar as doenças fúngicas na horta. Algumas receitas podem funcionar melhor do que outras em tipos específicos de fungos. A eficácia dos tratamentos pode depender de muitas variáveis.

Conclusão

O combate às doenças fúngicas na horta pode ser realizado através do uso de plantas e produtos naturais. A utilização de plantas como o tanaceto, a cavalinha, o alho, o neem, a camomila, a sálvia, e o tomilho selvagem, entre outras, oferece uma alternativa sustentável e ecológica para proteger as plantas. Estas plantas possuem propriedades antifúngicas que ajudam a prevenir e tratar doenças como o oídio, o míldio, e a ferrugem.

Além das plantas, produtos naturais como o bicarbonato de sódio, o vinagre de maçã, o leite, e o sabão potássico também desempenham um papel crucial no combate às doenças fúngicas na horta. Estes produtos naturais alteram o ambiente das plantas, tornando-o desfavorável para o crescimento de fungos e fortalecem a resistência das plantas contra futuras infeções.

Portanto, ao incorporarmos plantas e produtos naturais no manejo das hortas, é possível manter as plantas saudáveis e produtivas, garantindo uma colheita abundante e sustentável. O uso consciente e regular destas plantas e produtos naturais no combate às doenças fúngicas na horta é uma prática recomendada e eficaz para todos os horticultores.

Partilhe este artigo

Categorias

Quiz Hortas Biológicas

20 perguntas para avaliar os seus conhecimentos sobre horticultura biológica

Mais Recentes
Quiz Hortas Biológicas

20 perguntas para avaliar os seus conhecimentos sobre horticultura biológica

Newsletter

Preencha os campos abaixo para se inscrever na nossa newsletter

Em Destaque