Logo Hortas Biológicas

Corretivos do solo e fertilizantes autorizados

Símbolo Bio UE
Conheça os fertilizantes e corretivos do solo que podem ser utilizados na agricultura biológica em toda a UE.
Share on facebook
Share on twitter
Share on pinterest
Share on whatsapp
Share on email

Fertilizantes e corretivos do solo que são aprovados para utilização na agricultura biológica.


Estrume
– Produto constituído por uma mistura de excrementos de animais e de matérias vegetais (camas).
– Estrume seco e estrume de aves de capoeira desidratado.
– Excrementos compostados de animais, incluindo o estrume de aves de capoeira e estrumes compostados.
– Excrementos líquidos de animais – Utilização após fermentação controlada e/ou diluição adequada.

Produtos provenientes das explorações pecuárias “sem terra” proibidos.

Resíduos domésticos compostados ou fermentados

– Produto obtido a partir de resíduos domésticos separados na origem, submetidos a compostagem ou a fermentação anaeróbia.

Turfa
– Utilização limitada à horticultura (produção hortícola, floricultura, arboricultura, viveiros).

Resíduos de culturas de cogumelos

Excrementos de minhocas e de insetos


Guano

Produto da compostagem ou fermentação de misturas de matérias vegetais
– Produto obtido a partir de misturas de matérias vegetais submetidas a compostagem ou a fermentação anaeróbia.

Produtos ou subprodutos de origem animal
– Farinha de sangue; Farinha de cascos; Farinha de chifres; Farinha de ossos ou farinha de ossos desgelatinizados; Farinha de peixe; Farinha de carne; Farinha de penas; Lã; Pele; Pêlo; Produtos lácteos.

Produtos e subprodutos de origem vegetal para fertilizantes
– Exemplos: farinha de bagaço de oleaginosas, casca de cacau, radículas de malte.

Algas e produtos de algas
– Desde que sejam obtidos diretamente por processos físicos, incluindo a desidratação, congelação, trituração, extração por meio de água ou de soluções aquosas ácidas e/ou alcalinas, fermentação.

Serradura e aparas de madeira
– Madeira sem tratamento químico após o abate.

Casca de árvore compostada
– Madeira sem tratamento químico após o abate.

Cinzas de madeira
– Provenientes de madeira sem tratamento químico após o abate.


Vinhaça e extratos de vinhaça
– Com exceção das vinhaças amoniacais.

Carbonato de cálcio
– [cré, marga, rocha cálcica moída, algas marinhas (maërl), cré-fosfatada].
– Unicamente de origem natural.

Carbonato de cálcio e magnésio
– Unicamente de origem natural.
– Por exemplo, cré magnesiana, rocha cálcica magnesiana moída.


Sulfato de potássio (Kieserite)
– Unicamente de origem natural.

Solução de cloreto de cálcio
– Adubação foliar das macieiras, após deteção de uma carência de cálcio.

Sulfato de cálcio (gesso)
– Unicamente de origem natural.

Cal industrial proveniente da produção de açúcar
– Subproduto da produção de açúcar a partir da beterraba sacarina.

Cal industrial proveniente da produção de sal sob vácuo
– Subproduto da produção de sal sob vácuo a partir de águas salgadas existentes em zonas montanhosas.

Cloreto de sódio
– Unicamente sal-gema.

Pó de rocha e argilas

Informação mais detalhada – Regulamento 834/2007 (UE)

Partilhe este artigo

Share on facebook
Share on twitter
Share on pinterest
Share on whatsapp
Share on email
Newsletter
Mais Recentes
Categorias

Ervas Aromáticas

LER