Logo Hortas Biológicas

Será que a Lua tem influência nas culturas da horta?

A Lua e as culturas

A crença de que a Lua rege vários aspetos da vida na Terra é milenar. Embora alguns conceitos antigos não tenham resistido ao escrutínio das modernas pesquisas científicas, outros perduram até hoje. É o caso da convicção de muitos de que a Lua e as culturas estão intimamente ligadas.  Alguns estudos parecem comprovar que o crescimento das plantas está relacionado com as fases lunares. Mas muitos cientistas não estão convencidos disso. Salientam que os ritmos lunares são complexos, não totalmente regulares e seus efeitos não são tangíveis, de forma que é difícil repetir as experiências em que se baseiam esses estudos. Quem tem razão? Será que a Lua tem mesmo influência nas culturas da horta?

Sabemos há muito que a força gravitacional da Lua é responsável pelo movimento das marés. Com base nisso, alguns dizem que, se ela influencia as marés, deve também influenciar os seres vivos. Na verdade, alguns estudos científicos têm demonstrado que as atividades, a alimentação, a reprodução e os ritmos biológicos de muitos organismos vivos estão diretamente relacionados com as marés, as quais, por sua vez, sofrem influência direta da força gravitacional do nosso satélite natural.

Mas quando se trata das plantas, o assunto torna-se controverso. A ideia de que as fases lunares têm um efeito diferencial na taxa de desenvolvimento das plantas é vista com ceticismo por muitos é considerada como uma pseudociência por outros.

Não queremos entrar nessa “guerra” nem advogamos nenhum dos lados.

Contudo, achamos proveitoso deixar neste artigo as regras que têm sido seguidas ao longo de gerações. Se acha que a Lua e as culturas estão interligadas, certamente que vai querer continuar a leitura. Se pertence ao grupo dos que duvidam ou não acreditam, talvez o conteúdo a seguir não lhe desperte interesse.

Todos podem fazer as suas próprias experiências e tirarem as suas conclusões.

Ciclo lunar

Fases da Lua

Como aprendemos desde o tempo da escola, a Lua não tem luz própria. As fases da Lua que vemos dependem da quantidade de luz do sol que ilumina a Lua. Tradicionalmente, as quatro fases principais da Lua são denominadas como: Lua nova, quarto minguante, Lua cheia e quarto crescente.

Na Lua nova não conseguimos ver a Lua. Ela encontra-se entre o Sol e a Terra. A face visível não recebe luz do Sol.

No quarto crescente, apenas ¼ da parte visível recebe a luz do Sol. Vemo-la com uma forma de semicírculo.

Na Lua cheia, a Terra está entre o Sol e a Lua. A face visível fica totalmente iluminada pela luz do Sol

No quarto minguante, a luz solar que incide sobre a face visível vai diminuindo. Voltamos a vê-la com o aspeto de um semicírculo só que desta vez no sentido inverso da fase quarto crescente.

O ciclo lunar completo dura cerca de 29 dias e meio.

O que fazer na horta em cada fase da Lua

Lua Nova

Nesta fase lunar, a influencia gravitacional sobre a Terra é significativa. A sabedoria popular diz que não é boa altura para semear nada. Embora as culturas possam ter um bom desenvolvimento vegetativo vão produzir pouco e são mais suscetíveis a pragas.

Sendo assim, pode-se plantar culturas destinadas à colheita de folhas como a couve-galega, espinafres, cebolinho, etc. Não estão incluídas as culturas folhosas que formam “cabeça” como o repolho, a chicória, a alface, a couve –chinesa e outras.

O plantio por estaca de plantas para produção de caule e folhas, pode ser feito nesta fase lunar.

Quarto Crescente

O quarto crescente é a fase lunar mais benéfica. A sabedoria popular diz que nesta fase o crescimento foliar é mais vigoroso.  Regra geral, dizem que é um dos melhores momentos para semear, especialmente 2 a 3 dias antes de ocorrer a lua cheia. Nessa fase a seiva está presente em maior quantidade no caule, nos ramos e nas folhas. É o momento ideal para semear e plantar as culturas em que se consome a parte da planta situada acima do solo.

Plantam-se tomateiros e pimentos. Semeia-se feijão, favas, ervilhas, beringela, quiabos, abóboras, melancias, melões, pepinos, milho etc.

No quarto crescente não se planta culturas folhosas como as couves e nabiças. Espigam muito rapidamente.

Altura ideal para colher aromáticas.

Deve ser feita a enxertia das espécies fruteiras que produzem flor temporã como os pessegueiros, as ameixeiras e as amendoeiras.

A Lua e as culturas

Lua Cheia

Nesta fase lunar, a influência sobre a Terra chega ao ponto máximo, especialmente nos primeiros dias antes de começar os efeitos no quarto minguante.

Pode plantar repolho, couve-flor, alface e batatas.

Na Lua cheia, a seiva concentra-se na copa da planta (ramos e folhas). É uma boa altura para fazer a colheita dos frutos e hortícolas pois a sabedoria popular diz que são mais suculentos e saborosos.

Esta fase é boa para o plantio de flores.

Quarto Minguante

A sabedoria popular diz que no quarto minguante “o que cresce da terra para fora (folhas) minga, e o que cresce de fora para dentro vigora (raízes).” Nesta fase lunar, a influência sobre a terra é pouca ou insignificante.

No quarto minguante, a seiva circula mais lentamente e tende a afluir para a parte inferior da planta contribuindo assim para o desenvolvimento das raízes. Há menos estimulação vegetativa o que impede qua a planta tenha um desenvolvimento excessivo e que espigue de forma prematura.

Planta-se cebolo, couves, alfaces, rabanetes, cenouras, aipo, beterraba, nabiças e tudo o que seja para colher em folha e que pode vir a espigar.

Esta fase lunar é indicada para a colheita para armazenamento. Por exemplo: milho, feijão, grão, favas, abóboras.

O quarto minguante também é favorável para as adubações do solo, transplantes e podas. No caso das podas, como a circulação da seiva nas arvores é menos ativa, vai contribuir para que a perda originada pelo corte seja menor. Por isso, em geral, as árvores devem ser podadas no quarto minguante.

Nota: Em todas as fases lunares é recomendado que deixe passas dois ou três dias até fazer qualquer plantação ou sementeira.

Partilhe este artigo

Share on facebook
Share on twitter
Share on pinterest
Share on whatsapp
Share on email

NEWSLETTER

Subscreva a nossa newsletter e receba gratuitamente as novidades na sua caixa do correio